03.06.202016:56:00UTC+00Setor de serviços do Brasil continua registrando queda acentuada na atividade

O setor de serviços do Brasil encolheu drasticamente em maio, quando a pandemia de coronavírus ou Covid-19 continuou a prejudicar gravemente a economia, mostraram dados da pesquisa do IHS Markit na quarta-feira. O Índice de Gestores de Compras dos serviços ficou em 27,6 em maio, praticamente inalterado em relação a 27,4 em abril. Uma leitura do PMI abaixo de 50 sugere contração no setor. O novo trabalho caiu acentuadamente, pois a demanda permaneceu fraca em meio à pandemia dos Covid-19. As empresas também sinalizaram uma queda acentuada no emprego. O sentimento geral no setor de serviços permaneceu negativo e as empresas intensificaram os descontos para reter os clientes existentes e atrair novos. O PMI Composto, que combina manufatura e serviços, chegou a 28,1, de uma baixa recorde de 26,5 em abril. "As esperanças de qualquer recuperação rápida da pandemia estão começando a evaporar, pois várias empresas relataram reduções em seus números de força de trabalho como parte de esforços mais amplos para controlar custos e fornecer alguma proteção de margem em um momento de vendas rapidamente decrescentes", Paul Smith, diretor de economia da IHS Markit, disse. "Isso está contribuindo para uma perspectiva cada vez mais sombria, com as empresas permanecendo negativas em relação à atividade no próximo ano, à medida que os temores aumentam com o impacto a longo prazo do COVID-19".



Não pode falar agora?
Faça sua pergunta no chat.