empty
 
 

06.05.202113:50:00UTC+00Banco da Inglaterra retarda compra de títulos, aumenta perspectiva do PIB a curto prazo

O Banco da Inglaterra decidiu desacelerar seu programa de compra de títulos do governo em meio ao crescente otimismo sobre as perspectivas econômicas com a flexibilização das restrições relacionadas à pandemia do coronavírus. O Comitê de Política Monetária, formado por nove membros, decidiu reduzir o ritmo de compra de títulos do governo, movimento que os mercados podem interpretar como redução do estímulo monetário. O Comitê de Política Monetária (MPC) decidiu por unanimidade deixar a taxa básica de juros inalterada em 0,10 por cento. O banco elevou as projeções de crescimento de seu relatório de fevereiro e reduziu sua previsão para o desemprego. As compras semanais de títulos serão reduzidas de GBP 4,4 bilhões para GBP 3,4 bilhões. No entanto, o banco disse que se trata de uma decisão operacional que não deve ser interpretada como uma alteração da orientação da política monetária. O banco central reteve o estoque existente de compras de títulos corporativos em GBP 20 bilhões e as compras de títulos do governo em GBP 875 bilhões, elevando o tamanho da flexibilização quantitativa total para GBP 895 bilhões. Andrew Haldane votou por continuar com o programa existente de compras de títulos do governo do Reino Unido, mas reduzir o alvo para o estoque dessas compras de GBP 875 bilhões para GBP 825 bilhões. A ata mostrou que um membro buscou uma redução na escala de compras de ativos no programa atual de GBP 150 bilhões para GBP 100 bilhões. Isso implicaria que o programa terminaria em agosto, e não no final do ano. O programa existente de 150 bilhões de libras esterlinas de compras de títulos do governo do Reino Unido teve início em janeiro e sua conclusão era esperada para o final de 2021. O próximo passo será oferecer pistas sobre como pode reduzir seus títulos de dívida junto com aumentos futuros das taxas, disse James Smith, um economista do ING. Mas, apesar do crescente otimismo sobre a recuperação, uma história de inflação mais benigna no próximo ano provavelmente fará com que o BoE adie o aperto até 2023, acrescentou Smith. O MPC disse que o comitê não tinha a intenção de apertar a política monetária pelo menos até que houvesse evidências claras de que um progresso significativo estava sendo feito na eliminação da capacidade ociosa e no alcance da meta de inflação de 2 por cento de forma sustentável. O banco prevê que a economia do Reino Unido cresça acentuadamente em 7,25%, em vez dos 5% estimados em fevereiro. Mas, a perspectiva para 2022 foi reduzida de 7,25% para 5,75%, enquanto para 2023 foi mantida em 1,25%. De acordo com o Relatório de Política Monetária, o PIB do Reino Unido aumentará cerca de 4,25% no segundo trimestre de 2021, à medida que mais pessoas são vacinadas e as restrições relacionadas à Covid diminuem. Em uma entrevista coletiva online, o governador do BoE, Andrew Bailey, disse: não vamos nos deixar levar pelos números das previsões econômicas. Isso levará a economia de volta, no final deste ano, ao nível de produção do final do período pré-Covid de 2019. Isso significa que dois anos de crescimento econômico foram perdidos até agora, acrescentou Bailey. A taxa de desemprego é vista em 5 por cento este ano contra a previsão anterior de 6,5 por cento, antes de cair para 4,5 por cento no próximo ano e 4,25 por cento em 2023. Embora a inflação esteja abaixo do alvo de 2 por cento, ela subirá temporariamente acima do alvo no final de 2021, devido principalmente à evolução dos preços da energia, informou o banco. Espera-se que a taxa aumente para 2,5 por cento em 2021 e volte a 2 por cento em 2022.



Não pode falar agora?
Faça sua pergunta no chat.