09.09.202016:55 Análise de Forex: Visão geral do par EUR/USD. 9 de setembro. Donald Trump ameaça a China e critica Joe Biden

Período gráfico de 4 horas

Exchange Rates 09.09.2020 analysis

Detalhes técnicos:

Canal de regressão linear superior: direção - para cima.

Canal de regressão linear inferior: direção - para cima.

Média móvel (20; plana) - para baixo.

CCI: -134.5105

O par EUR/USD também passou em negociação tranquila com baixa volatilidade e mínimo viés descendente para o segundo dia de negociação da semana. Infelizmente, os participantes do mercado ainda não são capazes de decidir neste momento sobre a futura estratégia de negociação e estão esperando por novos dados importantes que possam dizer-lhes qual a forma de negociar o par. Além disso, agora é um momento muito bom para negociar o par libra/dólar, onde não há falta de antecedentes fundamentais. Portanto, alguns traders do euro fugiram temporariamente para comercializar a libra. Durante os últimos três (ou quatro) meses, o par EUR/USD tem geralmente ficado mais caro. Além disso, ele ficou estagnado no mês passado. Assim, acontece que os traders do euro ainda não estão com pressa de se livrar de posições longas. Por quê? Porque a situação nos Estados Unidos continua a ser bastante desagradável. Além disso, há muitas razões para isso. A começar pelas "quatro crises" de que falamos há vários meses e terminando com novos problemas potencialmente graves e a personalidade de Donald Trump, que parece estar fazendo de tudo para fazer mais inimigos, tanto dentro como fora do país.

Você só pode estar feliz com uma coisa: a epidemia de "coronavírus" nos Estados Unidos começou a recuar. Nas últimas semanas, houve um claro declínio no número de novos casos. Além disso, já que estamos falando de pessoas vivas e comuns, este é sem dúvida um fato positivo para o país e sua moeda nacional. Primeiro, quanto mais fraca a pandemia, mais social e economicamente ativos serão os residentes do país. Isto significa que a atividade comercial crescerá e a recuperação econômica avançará mais rapidamente. As pessoas estarão mais dispostas a voltar ao trabalho, o que significa que terão que pagar menos benefícios de desemprego e "subsídios de coronavírus". Em geral, não importa como você olhe para isso, quanto menor a taxa de desemprego e quanto mais fraco o "coronavírus", melhor para os EUA e o dólar.

Infelizmente, tudo isso são notícias positivas dos Estados Unidos. Voltamos à figura de Donald Trump, que retomou as acusações e insultos diários de todos que não apoiam suas políticas e sua candidatura nas eleições. Em primeiro lugar, a China conseguiu novamente. Desta vez, Trump disse que a China não quer sua reeleição e interfere nas eleições para alcançar uma vitória para Joe Biden. De acordo com Trump, a China incita protestos, comícios em massa e motins nos Estados Unidos, escondendo-se atrás de escândalos racistas que provocaram o movimento "Black Lives Matter". Entretanto, os dados oficiais da inteligência dos EUA não confirmam as acusações de Trump contra a China como não confirmaram suas acusações antes quando o presidente dos EUA disse que "a China infectou especificamente o mundo inteiro com a COVID-2019". A seguir veio Joe Biden. Trump criticou mais uma vez o plano do democrata de reorganizar o setor energético, dizendo que "seus planos são irrealistas" e que ele "simplesmente destruirá o setor inteiro". Além disso, o Departamento de Defesa dos EUA caiu sob a "distribuição", que Trump também "andou como um rolo", acusando-os de incitar guerras em prol de empresas militares enriquecedoras. O líder norte-americano acredita que os líderes do Pentágono especificamente provocam ou encontram conflitos ao redor do mundo para enriquecer as empresas que produzem armas e equipamentos militares. Trump nomeou sua prioridade para o segundo mandato presidencial como "o retorno do pessoal militar americano para casa". Além disso, Donald Trump lembrou novamente as habilidades mentais de Biden, dizendo que "ele não entendia de política quando estava em seu auge, e ainda mais em seu estado atual".

Bem, a maior crítica foi para as empresas americanas que localizaram sua produção na China. Donald Trump acredita que desta forma os fabricantes americanos criam empregos no campo do principal inimigo e concorrente. Se ele ganhar a eleição, o presidente prometeu que devolveria a maior parte da produção aos Estados Unidos para "acabar com a dependência da China", bem como para criar empregos na América. Trump prometeu que todas as empresas que se recusarem a voltar para casa serão forçadas a pagar altos impostos para compensar sua partida para a China. As empresas que decidirem voltar para casa, pelo contrário, serão subsidiadas. "Se elas não podem criar produção aqui, então deixe-as pagar impostos altos. Proibiremos a concessão de contratos governamentais às empresas que exportam a produção para a China. Responsabilizaremos a China por permitir que o coronavírus se espalhe pelo mundo. Eles estão fortalecendo seu exército com nosso dinheiro, e eu não quero isso", disse o presidente americano. "Vamos transformar os Estados Unidos em uma superpotência manufatureira e acabar de uma vez por todas com nossa dependência da China". Não podemos depender da China", acrescentou Trump, que naturalmente esqueceu que já havia prometido devolver os fabricantes americanos antes das últimas eleições e não devolveu nenhuma grande empresa aos Estados Unidos durante 4 anos. Entretanto, antes das novas eleições, Trump iniciou um antigo recorde. Acreditamos que as ações da Trump são, em sua maioria, destrutivas. A pressão direta sobre os fabricantes americanos pode levá-los a deixar os Estados Unidos completamente e a produzir seus produtos fora de suas fronteiras. Porque quaisquer que sejam os benefícios fiscais que Trump oferece a estas empresas, deve ser entendido que a produção de qualquer mercadoria nos Estados Unidos é muito mais cara do que em quase qualquer outro país do mundo. Especialmente se estivermos falando de países em desenvolvimento com mão-de-obra barata. Assim, não será lucrativo para nenhuma empresa transferir a produção para os Estados Unidos, pois isto pode aumentar o custo de produção em 50-100%. Naturalmente, isto prejudicará as vendas e as receitas. Além disso, os trabalhadores americanos terão que pagar salários muito mais altos do que os trabalhadores chineses. Em geral, não acreditamos que os fabricantes americanos retornarão aos Estados Unidos. Entretanto, acreditamos que a Trump pode iniciar uma guerra contra eles. Afinal, Trump conhece apenas algumas maneiras de alcançar seus próprios objetivos: ameaças, pressão direta e guerra. Assim, é o presidente americano que pode contribuir para um declínio ainda maior ou uma desaceleração da economia dos EUA se for reeleito para um segundo mandato.

Isto não é nada de bom para o dólar americano no longo prazo. Contra o euro, ele ainda está se segurando de uma nova queda e pode até começar a subir de preço nas próximas semanas. Entretanto, para um fortalecimento mais forte do que uma correção, é necessário completar pelo menos metade das crises que são observadas atualmente nos Estados Unidos.

Exchange Rates 09.09.2020 analysis

A volatilidade do par de moedas euro/dólar a partir de 9 de setembro é de 72 pontos e é caracterizada como "média". Assim, esperamos que o par se mova hoje entre os níveis de 1,1723 e 1,1867. Uma inversão do indicador Heiken Ashi para o topo sinaliza uma possível rodada de correção ascendente.

Níveis de suporte mais próximos:

S1 – 1.1719

S2 – 1.1597

S3 – 1.1475

Níveis de resistência mais próximos:

R1 – 1.1841

R2 – 1.1963

R3 – 1.2085

Recomendações de negociação:

O par EUR/USD pode continuar seu movimento descendente. Assim, hoje é recomendado negociar para baixo com as metas de 1,1723 e 1,1719 e manter posições curtas até o indicador Heiken Ashi virar para cima. Se o preço for fixado acima da média móvel, recomenda-se negociar para um aumento com alvo de 1.1963.

*A análise de mercado aqui postada destina-se a aumentar o seu conhecimento, mas não dar instruções para fazer uma negociação.

Paolo Greco,
Especialista em análise
do Grupo InstaForex © 2007-2020
Benefit from analysts’ recommendations right now
Top up trading account
Open trading account

InstaForex analytical reviews will make you fully aware of market trends! Being an InstaForex client, you are provided with a large number of free services for efficient trading.

Não pode falar agora?
Faça sua pergunta no chat.