empty
 
 

22.07.202106:25 Forex Analysis & Reviews: Visão geral do par GBP/USD. 22 de julho. Os britânicos continuam infectados e morrendo de "coronavírus". A quarta "onda" está em pleno andamento.

Período de tempo de 4 horas

Exchange Rates 22.07.2021 analysis

Dados técnicos:

O canal superio de regressão linear: direção - para baixo.

O canal menor de regressão linear: direção - para baixo.

Média móvel (20; suavizada) - lateralmente.

CCI: -16,9534

A libra interrompeu a depreciação em relação à moeda dos EUA na quarta-feira. Em princípio, conversamos sobre isso nos últimos dias. Deve-se entender que o fator epidemiológico é um fator importante, mas os mercados não podem negociar apenas em função dele. Ao longo da pandemia de coronavírus, os comerciantes não foram frequentemente orientados em suas decisões comerciais apenas pela morbidade e mortalidade de COVID. Eles estavam muito mais interessados em fatores fundamentais globais, nem mesmo na macroeconomia. Assim, a recuperação de três dias da libra não pôde continuar. Claro, este é o mercado. Ninguém pode dizer com certeza absoluta que a libra deixará de cair de preço. No entanto, o fator técnico global indica que o programa máximo já foi ultrapassado. Embora no momento o par libra/dólar está idealmente na faixa que chamamos nas últimas semanas - 1,3600 - 1,3666. Portanto, esperamos que a partir deste intervalo o par inicie uma nova rodada de um movimento ascendente, sobretudo de longo prazo. Do nosso ponto de vista, o dólar norte-americano já subiu de preço e seu fortalecimento adicional é improvável. Claro, no período de 4 horas, o par continua abaixo da média móvel. Isso significa que, no momento, não há razão para abrir posições longas. Vamos lembrar de que qualquer hipótese deve ser confirmada por sinais técnicos específicos. Se eles não estiverem lá, a hipótese ainda não deve ser elaborada. No Reino Unido, pode começar-se uma nova rodada de crescimento do número de casos da doença, o que pode obrigar os mercados a recorrerem novamente à venda da moeda britânica.

Enquanto isso, a situação epidemiológica no Reino Unido está começando a se estabilizar. No dia 19 de julho, foram registados "apenas" 46,5 mil novos casos da doença, valor inferior ao pico da "quarta vaga", mas ao mesmo tempo mais 6,6 mil do que no dia anterior. Além disso, 102 britânicos morreram em consequência do "coronavírus" e este é o número mais alto desde meados de março. Assim, o conceito de "estabilização" agora é muito, muito condicional. Na verdade, o país está no auge em termos de mortalidade e morbidade na quarta "onda". E, infelizmente, esses indicadores ainda não começaram a cair o suficiente para falar do fim da "onda". Apesar de quase 70% dos adultos no Reino Unido terem recebido as duas doses da vacina, na semana passada a morbidade aumentou 40%. Ao mesmo tempo, é relatado que pelo menos 259 pessoas morreram com a cepa delta, com 116 delas totalmente vacinadas. Assim, qualquer vacina apenas reduz seriamente o risco de contrair o "coronavírus", mas não o elimina completamente. Os médicos disseram que todos precisam ser vacinados de qualquer maneira, e as vacinas funcionam contra o vírus. Mas sempre há casos especialmente graves, ou o paciente acaba ficando imune à vacina. Em geral, nenhuma vacina protege 100%. Isso foi confirmado por uma grande quantidade de pesquisas científicas.

No entanto, o "coronavírus" não é o único problema no Reino Unido neste momento. Vamos lembrar de que as relações entre a UE e o Reino Unido continuam a deteriorar-se depois que David Frost declarou abertamente que precisava de uma revisão do "Protocolo da Irlanda do Norte", e representantes da Comissão Europeia responderam que isso não aconteceria. Portanto, acaba se tornando um impasse. A Grã-Bretanha, que ainda teme novos distúrbios na ilha da Irlanda, está tentando suavizar a ação do "Protocolo da Irlanda do Norte" tanto quanto possível para que os irlandeses não tenham motivos para se preocupar. No entanto, alguns documentos no âmbito do acordo Brexit já foram assinados e a União Europeia exige que Londres os cumpra estritamente. Assim, se o "Protocolo da Irlanda do Norte" não for revisado, novos problemas com a Irlanda do Norte serão possíveis. E Bruxelas não quer revisar os termos do acordo.Em geral, toda essa situação pode terminar com novas violações do acordo por parte do governo de Boris Johnson, e a União Europeia, que está apenas esperando por isso, pode ir imediatamente a um tribunal ou impor sanções e multas contra a Grã-Bretanha. Deve-se entender que, em geral, as sanções e multas, bem como as ações judiciais, não beneficiam ninguém. Os Estados Unidos e a China podem confirmar isso. No entanto, são ferramentas indispensáveis para a condução dos assuntos internacionais. Se Londres se permitir alterar unilateralmente as cláusulas do acordo, então deverá incorrer em certa penalidade por isso. Se a punição não seguir, Londres violará constantemente quaisquer acordos. Além disso, a União Européia precisa mostrar a todos os demais países membros que aqueles que deixarem ou vão sair da aliança se verão em uma posição menos vantajosa do que agora, por estarem no bloco. A saída da Grã-Bretanha da UE afetou muito a reputação do bloco, e agora é importante para a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu mostrarem que a Grã-Bretanha não receberá nenhuma preferência fora da UE e não poderá ter acesso ao 400 milionésimo Mercado europeu simplesmente porque Boris Johnson quer. Além disso, se os acordos forem violados, a União Europeia será obrigada a esfriar as relações com o Reino, que já estão longe do conceito de "quentes". Em geral, o Reino Unido, como sempre, tem estado no centro dos eventos nos últimos anos. Por um lado, esses eventos são claramente negativos para o Reino. Por outro lado, o fator de inflação na oferta monetária dos EUA pode facilmente cobrir todos esses aspectos negativos.

Dessa forma, a moeda britânica segue em tendência descendente. Esperamos a sua conclusão antecipada, mas até agora não há um único sinal técnico sobre isso. Portanto, é necessário esperar pelo menos a consolidação das cotações do par acima da linha de média móvel, e só depois considerar as opções de posições longas.

Exchange Rates 22.07.2021 analysis

A volatilidade média do par GBP/USD é atualmente de 113 pontos por dia. Para o par libra/dólar, esse valor é "alto". Assim, na quinta-feira, dia 22 de julho, esperamos movimentação dentro do canal, limitada pelos níveis 1,3605 e 1,3829. Uma reversão do indicador Heiken Ashi para baixo sinalizará uma possível retomada do movimento para baixo.

Níveis de suporte mais próximos:

S1 - 1,3672

S2 - 1,3611

S3 - 1,3550

Níveis de resistência mais próximos:

R1 - 1,3733

R2 - 1,3794

R3 - 1,3855

Recomendçaões de negociação:

O par GBP/USD corrigido para a média móvel no período de 4 horas. Assim, novas vendas do par são possíveis hoje com os alvos de 1,3672 e 1,3611 no caso de um salto do preço da linha de média móvel. As ordens de compra devem ser consideradas se o preço se consolidar acima da média móvel com os alvos em 1,3794 e 1,3829, e mantê-los abertos até que Heiken Ashi vira-se para baixo.

Recomendamos para ler:

Visão geral do par EUR/USD. 22 de julho. Reunião do BCE: momento da verdade para euro e dólar.

Sinais de negociação, relatório COT:

Previsão e sinais de negociação para EUR/USD para 22 de julho.

Previsão e sinais de negociação para GBP/USD para 22 de julho.

*A análise de mercado aqui postada destina-se a aumentar o seu conhecimento, mas não dar instruções para fazer uma negociação.

Paolo Greco,
Especialista em análise na InstaForex
© 2007-2022
Benefit from analysts’ recommendations right now
Top up trading account
Open trading account

InstaForex analytical reviews will make you fully aware of market trends! Being an InstaForex client, you are provided with a large number of free services for efficient trading.

Não pode falar agora?
Faça sua pergunta no chat.