empty
 
 
Gasoduto Força da Sibéria 2 irá impactar o mercado de gás europeu.

Gasoduto Força da Sibéria 2 irá impactar o mercado de gás europeu.

De acordo com a Fitch Ratings, em breve a Europa poderá enfrentar uma escassez de gás natural se a gigante russa de energia Gazprom aumentar seu fornecimento para a China através do gasoduto Power of Siberia 2 (Força da Sibéria 2 em português). A agência de classificação acredita que a Gazprom continuará a fornecer gás para a Europa sob contratos de longo prazo.

Entretanto, as vendas de gás à vista serão consideravelmente reduzidas. Isto pode fazer com que a Gazprom perca seu status de fornecedor final de gás na Europa. Entretanto, a Rússia planeja aumentar suas exportações de gás para a China. Tudo isso pode levar a um déficit de gás no mercado europeu. A demanda atual de gás na Europa será coberta pelo GNL, mas a UE terá agora que competir com a Ásia por ele. Se houver crescimento significativo das exportações russas para a China, a Europa pode não conseguir receber volumes adicionais de Gás natural liquefeito (GNL).

Especialistas estimam que a escassez de gás atingirá a região europeia nos próximos 5 – 10 anos após o lançamento do gasoduto Força da Sibéria 2. Mais tarde, a situação poderá se estabilizar, pois, a Europa reduzirá sua dependência do gás em linha com sua transição para a energia verde. Anteriormente, os países da zona do euro se comprometeram a mudar para fontes de energia limpa. O gasoduto foi projetado para transportar o gás russo para a China através da Mongólia.

Na Rússia, o gasoduto atravessará o território de Krasnoyarsk, Região de Irkutsk, Buryatia, e Transbaikal. Sua capacidade de exportação é estimada em 50 bilhões de metros cúbicos por ano. A Gazprom planeja inaugurar o gasoduto até 2024 e diz que ele será tão potente quanto o North Stream 2.

Back

See also

Não pode falar agora?
Faça sua pergunta no chat.