empty
 
 
Crise alimentar começou antes das hostilidades na Ucrânia.

Crise alimentar começou antes das hostilidades na Ucrânia.

Os especialistas concluíram que a crise alimentar que assola o mundo inteiro surgiu muito antes da invasão russa da Ucrânia.

A crise alimentar foi impulsionada pelo aumento dos preços dos alimentos, o fenômeno emergiu antes das turbulências geopolíticas em curso na Europa Oriental. Os analistas identificaram as razões básicas que são responsáveis, tais como a inflação global desenfreada e os preços altíssimos da energia.

No início de 2022, os preços dos alimentos dispararam devido às condições climáticas adversas e à crise energética. Os preços dos alimentos atingiram picos de vários anos no início de fevereiro.

A agricultura é reconhecida como o setor que mais consome energia na economia global de hoje. Antes de qualquer produto ser empilhado em uma prateleira de supermercado, ele percorre um longo caminho desde o momento em que é cultivado, colhido, armazenado e até ser processado e entregue a um varejista. Além destas enormes despesas, os agricultores têm que alocar muito dinheiro para fertilizantes e máquinas agrícolas. Em termos de consumo de energia, só a indústria alimentícia consome quase 30% da energia necessária para todo o ciclo de produção.

As sanções anti-russas impostas pelos aliados ocidentais em retaliação às hostilidades do Kremlin na Ucrânia provocaram um duro revés para a economia da UE. Eventualmente, os países da UE ficaram presos em uma guerra econômica. As autoridades da UE decidiram eliminar gradualmente as exportações russas, mas na prática, o boicote provocou sérias repercussões. As contas bancárias congeladas colocaram uma grande pressão sobre a economia da UE, pois afetaram as cadeias de fornecimento de trigo, cevada, milho e óleo de girassol da Rússia, um dos maiores exportadores do mundo. Os suprimentos da Ucrânia também foram prejudicados.

Anteriormente, Tomson Phiri, porta-voz do Programa Mundial de Alimentos da ONU, alertou sobre os riscos crescentes de fome em escala global nas costas do conflito Rússia-Ucrânia e dos preços elevados dos alimentos. Atualmente, a Rússia e a Ucrânia garantem 30% das exportações globais de trigo, 20% das exportações de milho e 76% das exportações de sementes de girassol.

Back

See also

Não pode falar agora?
Faça sua pergunta no chat.